Crianças

Uma dúvida que os pais sempre carregam e se questionam com frequência. Quando devo levar meu filho(a) ao Psicólogo? Mas… é preciso mesmo? Não é só uma fase? Não estamos exagerando? Pois bem, vamos tentar passar de maneira simplória quando você deve ou não levar seu filho(a) ao Psicólogo.

A primeira coisa que temos que saber é buscar informações sobre o profissional que irá atender seu filho(a). Esse profissional deve ser um Psicólogo infantil.

A Psicologia infantil trabalha com a saúde mental das crianças de (0 a 12) anos de idade com base em estudos científicos permeando por cada etapa do desenvolvimento, analisando os comportamentos considerados comuns e incomuns para cada faixa etária da criança.

Segue algumas dicas para aqueles pais que se sentem inseguros quanto a questão de levar ou não, a criança para ser atendido por um psicólogo infantil:

1- Se a criança apresentar comportamentos que não estão em conformidade com as etapas de desenvolvimento, você poderá levar seu filho(a) ao Psicólogo, ele saberá lidar com os comportamentos apresentados. Isso pode acontecer a partir de 1 ano e meio.

2- Como é feito esse atendimento? Será semanalmente com sessões de 45 a 50 minutos de acordo com as características específicas de cada criança. As primeiras sessões são feitas com os pais que vão passar informações a Psicóloga da história de vida da criança por meio de uma entrevista semiestruturada onde vai abranger os aspectos físicos, motores , cognitivos, interações , comportamentos afetivos dentre outros.

3- Realmente meu filho precisa de um psicólogo? Se a criança está passando por comportamentos difíceis e os pais não estão sabendo lidar com a situação, a melhor opção é procurar um Psicólogo Infantil que está preparado para atuar nessa área.
4- Os pais deverão ficar atentos a partir do momento em que as crianças apresentam alterações de comportamentos dentre elas:

 Se está sendo acometida de bullying na escola;
 Se os pais estão passando por um processo de separação;
 Medos excessivos;
 Ansiedade ( inquietação comportamental antes de algum evento)
 Isolamento( evita interagir com outra criança, refere ficar sozinho)
 Atraso de fala;
 Controle de esfíncteres ;
 Autismo ( criança diagnosticada com autismo é extremamente importante ser acompanhada por um profissional que trabalhará padrões comportamentais de rotina).

Por fim , existem muitos fatores não citado aqui, mas se os pais perceberem comportamentos indesejados e não controlados por parte da criança, os responsáveis deverão buscar ajuda de um profissional especializado na área.

 
  •  
Crianças

Deixe uma resposta

Rolar para o topo