Depressão​

Consulta com Psicólogo e Psiquiatra
A depressão é um dos transtornos mentais mais frequentes, acometendo 1 em cada 5 pessoas no mundo ao longo da vida. Também é uma das principais causas de redução de produtividade no trabalho e dias de trabalho perdidos.

Pode acometer pessoas de todas as idades, sendo mais comum em adolescentes, adultos jovens e idosos. É mais comum nas mulheres.

Os principais fatores de risco para depressão são: familiares (até 2º grau) com esse ou outros transtornos do humor, falta de suporte social, eventos estressantes ao longo da vida e abuso de álcool ou drogas.

Os episódios depressivos frequentemente são desencadeados por fases de stress físico e/ou psicológico em pessoas que já tem predisposição para a doença. Doenças crônicas e algumas medicações também podem contribuir para o desenvolvimento desse transtorno.
SINAIS E SINTOMAS
Humor deprimido, ansioso, irritável ou até mesmo sensação de não ter sentimento algum;
Diminuição de interesse ou prazer em atividades ou hobbies;
Alterações em apetite e/ou no peso;
Alterações no sono (dificuldade para adormecer, despertares noturnos, sono não reparador, acordar antes do habitual);
Lentificação ou agitação psicomotora;
Energia diminuída, fadiga;
Sentimento de culpa ou inutilidade;
Desesperança, pessimismo;
Indecisão ou capacidade diminuída de pensar ou concentrar-se;
Pensamentos de morte ou ideação suicida.
TIPOS DE DEPRESSÃO
A depressão pode apresentar-se de diversas formas. Seus tipos mais comuns são:

Transtorno depressivo persistente (TDP): é um tipo mais leve de depressão mas capaz de durar bastante tempo, pelo menos 2 anos no caso de adultos.

Depressão atípica: um tipo que pode ser acompanhado de uma variedade de sintomas, como dormir muito, comer muito, ansiedade ou ataques de pânico.

Depressão pós-parto: o pós-parto é um período de alto risco para o desenvolvimento de quadros depressivos, relacionados às mudanças hormonais, à ansiedade e ao desgaste físico.

Distúrbio afetivo sazonal: esse tipo de depressão é caracterizado por episódios depressivos durante o outono ou o inverno, que desaparecem na primavera e no verão.

Luto protraído: ocorre quando o paciente vivencia um momento de luto cujo período de recuperação dura mais do que deveria, prejudicando a vida da pessoa. O sentimento de luto é natural, e seu período de recuperação tende a durar de 3 a 6 meses. Se o pesar do luto não se recupera após esse tempo, ele pode evoluir para uma depressão.
TRATAMENTO

As modalidades de tratamento para depressão mais utilizadas são as psicoterapias e os antidepressivos, por serem mais custo-eficazes.

Os quadros leves podem ser tratados exclusivamente com psicoterapia. A modalidade com maior evidência científica de eficácia terapêutica é a psicoterapia cognitivo-comportamental.

Existem inúmeras medicações antidepressivas com os mais variados mecanismos de ação. Além disso há uma ampla gama de outras medicações com ação no humor que também podem fazer parte do tratamento da depressão.

A prática regular de exercícios físicos, cuidados com a alimentação e com o sono, entre outras mudanças de estilo de vida também contribuem muito positivamente para o tratamento da depressão e devem ser instituídos sempre que possível.

A estimulação magnética transcraniana é uma modalidade de tratamento com eficácia comparável a dos antidepressivos, porém muito mais cara e trabalhosa. Por esse motivo costuma ser reservada a pacientes que não respondem ao tratamento convencional.

Existem outros tratamentos, feitos em ambiente hospitalar para casos que refratários (que não responderam a nenhum outro tratamento), como a eletroconvulsoterapia (ECT) e a cetamina (ou ketamina).

A avaliação médica é essencial e indispensável não só para a determinação do diagnóstico correto, mas também para a escolha do melhor tratamento para cada indivíduo.

Depressão​

Deixe uma resposta

Rolar para o topo